Este é um microcosmo apartidário embora ideológico, pois «nenhuma escrita é ideologicamente neutra*»

*Roland Bartes

Intros: 1 2

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

"Federação Irlandesa renova apelo à FIFA"

«O novo apelo foi decidido após as declarações do capitão da equipa francesa, Thierry Henry, que defendeu ser a repetição do encontro "a solução mais equilibrada"













A Federação Irlandesa de Futebol voltou hoje, sexta-feira, a pedir à FIFA a repetição do encontro França-República da Irlanda, referente ao "play-off" de apuramento para o Mundial'2010.

Em comunicado, a federação decidiu "apelar à federação francesa para se juntar a ela e ainda aos capitães das equipas francesa e irlandesa, Thierry Henry e Robbie Keane, para pedir à FIFA um novo jogo que preserve a integridade e o orgulho da equipa francesa".

Robbie Keane também emitiu um comunicado e enalteceu Thierry Henry pelo gesto de "coragem" e pela "honra" que demonstrou ao fazer a declaração.
O próprio avançado do Barcelona admitiu ter jogado a bola com a mão, antes de a centrar para o companheiro fazer o golo, que acabou por qualificar os franceses para a fase final do Mundial.

Na quinta-feira, a FIFA entendeu que "as decisões do árbitro sobre incidências do jogo não são passíveis de apelo".»


Comentário - Basta! Haja justiça! A justiça não é apenas adjectiva é, sobretudo, substantiva. Bem o Primeiro-Ministro da Irlanda, bem a Federação Irlandesa de Futebol, bem Trapattoni, melhor ainda Thierry Henry. Por fontes ainda não confirmadas, a Federação Holandesa de Futebol terá manifestado, também, o apoio à Irlanda para a repetição do jogo do respectivo apuramento para África do Sul 2010.

Meus senhores da F.I.F.A. e da U.E.F.A., não se brinca com esforço e trabalho dos outros, muito menos com o de uma Nação. Está mais que na hora de serem introduzidas novas tecnologias no futebol. Senhores jornalistas, V. Exas. terão sempre que dizer, o lobby que não se exalte, há muitas histórias “a contar”, mesmo com novos aparelhos num estádio. Para quem não sabe, o "Olho de Falcão" no ténis, tem alcançado, a todos os níveis, resultados fantásticos, acabando por ser uma história dentro da própria História de um encontro de ténis e, "curiosamente", o público...gosta. Oportunamente, em 2006 (sem precisar), numa conferência, sobre esta matéria, promovida pela A.F.P.D., manifestamos publicamente a defesa por esta ideia. Muito depois, fomos subscritores da petição “Pela Verdade Desportiva” que, para nosso espanto, muitas ilustres pessoas da sociedade portuguesa já o tinham feito. Neste caso especial, concordamos inteiramente com autor da mesma (Rui Santos), embora, e que claro fique, não seguimos, em grande parte (para não dizer absolutamente), aquilo que expressa acerca do futebol.

Meus senhores da F.I.F.A. e da U.E.F.A., há muito dinheiro e trabalho investidos por esse futebol afora, quer por clubes, quer por federações, para ser tudo destruído, em segundos, por uma má decisão da arbitragem. Nem o futebol fica bem, nem os próprios árbitros. Mexam-se e modernizem tecnologicamente a modalidade também. Nos Estados Unidos da América, o Futebol Americano não deixou de ser o que era, com as recentes introduções tecnológicas nas suas regras.

Acabamos como começamos, dizendo: Repita-se o jogo...

Post Scriptum: Ainda hoje está-se para perceber como é que a U.E.F.A. assistiu impávida e serena à meia-final deste ano, da Champions, entre o Chelsea e o Barcelona. É inqualificável o que aconteceu naquele dia em Stamford Bridge...
Share |

Sem comentários:

Enviar um comentário

«Se mandarem os Reis embora, hão-de tornar a chamá-Los» (Alexandre Herculano)

«(…) abandonar o azul e branco, Portugal abandonara a sua história e que os povos que abandonam a sua história decaem e morrem (…)» (O Herói, Henrique Mitchell de Paiva Couceiro)

Entre homens de inteligência, não há nada mais nobre e digno do que um jurar lealdade a outro, enquanto seu representante, se aquele for merecedor disso. (Pedro Paiva Araújo)

Este povo antes de eleger um chefe de Estado, foi eleito como povo por um Rei! (Pedro Paiva Araújo)

«A República foi feita em Lisboa e o resto do País soube pelo telégrafo. O povo não teve nada a ver com isso» (testemunho de Alfredo Marceneiro prestado por João Ferreira Rosa)

«What an intelligent and dynamic young King. I just can not understand the portuguese, they have committed a very serious mistake which may cost them dearly, for years to come.» (Sir Winston Leonard Spencer-Churchill sobre D. Manuel II no seu exílio)

«Everything popular is wrong» (Oscar Wilde)

«Pergunta: Queres ser rei?

Resposta: Eu?! Jamais! Não sou tão pequeno quanto isso! Eu quero ser maior, quero por o Rei!» (NCP)

Um presidente da república disse «(...)"ser o provedor do povo". O povo. Aquela coisa distante. A vantagem de ser monárquico é nestas coisas. Um rei não diz ser o provedor do povo. Nem diz ser do povo. Diz que é o povo.» (Rodrigo Moita de Deus)

«Chegou a hora de acordar consciências e reunir vontades, combatendo a mentira, o desânimo, a resignação e o desinteresse» (S.A.R. Dom Duarte de Bragança)

Go on, palavras D'El-Rey!